Vanise Rezende - clique para ver seu perfil

MINHA ESCOLHA, MEU VOTO

2 de outubro de 2014



O dia 5 de outubro será o dia das eleições no Brasil. Nós – que sofremos com a injusta manipulação da riqueza no mundo e também no nosso país – somos convidados a dar apoio a um programa de governança já em processo, que poderá se tornar mais amplo e proativo em uma nação tão complexa como a nossa, que vem caminhando – a custo de inúmeras negociações políticas no Congresso Nacional – em busca da plena garantia à seguridade de vida dos mais pobres.

Artistas e intelectuais brasileiros assinaram um manifesto, em 15 de setembro passado, chamado: “A Primavera dos direitos de todos: ganhar para avançar” do qual reproduzo uma feliz afirmação:


“O Brasil precisa, sim, de mudanças, como as próprias manifestações de rua do ano passado revelaram. Precisa, sem dúvida, reformular as suas políticas de segurança pública e de mobilidade urbana. Precisa aprofundar as transformações na educação e na saúde públicas, na agricultura, consolidando com ousadia as políticas de cultura, meio ambiente, ciência e tecnologia, e combatendo, sem trégua, todas as discriminações. O Brasil precisa urgentemente de uma reforma política. Mas precisa mudar avançando e não recuando. Necessita fortalecer e não enfraquecer o combate às desigualdades. O caminho iniciado por Lula e continuado por Dilma é o da primavera de todos os brasileiros. Por isso apoiamos Dilma Rousseff." [i]


As ações da governança do Partido dos Trabalhadores, nos últimos doze anos, podem nos ajudar a refletir sobre os avanços sociais promovidos:
       -  Acesso à moradia popular;
-  Ampliação da atenção básica à saúde em todo o país;
-  Construção de creches para crianças de O a 4 anos;
- Alfabetização das crianças até os seis anos;
- Ampliação e qualificação de Escolas Técnicas para o aprendizado dos jovens que se preparam ao trabalho;
-  Acesso de todos aos cursos universitários;
-  Inclusão dos empregados domésticos com a maior parte dos direitos de todos os              trabalhadores;
- Compromisso de investir em educação a maior parte dos recursos obtidos com a exploração da camada do pré-sal.


Uma das questões acima interessa mais diretamente às classes média e alta: é a PEC dos empregados domésticos (motoristas, enfermeiros, cozinheiras, arrumadeiras, cuidadores e babás). A Proposta de Emenda Constitucional foi apresentada pela Presidente da República, propondo colocar esses empregados em nível de igualdade com os outros trabalhadores, inclusive com direito ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. No entanto, tais conquistas não são apoiadas por senadores e deputados representantes daqueles que continuam sentindo-se à vontade em conviver com as tristes consequências das desigualdades sociais. Assim, ainda há que aguardar a regulamentação do pagamento do FGTS. Além disso, o atual governo também favoreceu os empregados domésticos com o aumento anual programado do salário mínimo.

  

Há ainda os que pensam, por exemplo, que as mulheres que recebem a “bolsa família” – um programa federal que oferece um incentivo mensal às famílias extremamente pobres “que têm renda per capita de até R$ 77,00 por mês” e famílias em situação de pobreza “com renda mensal de R$ 77,01 R$ 154,00 por mês, e que tenham em sua composição gestantes, nutrizes, crianças ou adolescentes entre O e 17 anos”.  O objetivo do programa é combater a fome e promover a segurança alimentar e nutricional; combater a pobreza e outras formas de privação das famílias; promover o acesso à rede de serviços públicos, em especial, saúde, educação, segurança alimentar e assistência social; e criar possibilidades de emancipação sustentada dos grupos familiares e desenvolvimento local dos territórios.[ii]

Essa é uma apresentação sucinta da concepção do programa, apenas para mostrar o quanto se está longe de perceber a realidade da pobreza – os comentários que alguns fazem  são que esse programa “torna essa gente preguiçosa” que se aproveita para não trabalhar... Embora seja evidente a necessidade de vigiar politicamente – utilizando-se as ferramentas de controle da coisa pública – para que não haja injustiças e mau uso do programa, como acontece em municípios interioranos e mesmo em algumas capitais, por decisão não do governo federal, mas dos que governam os municípios, pois o controle mais adequado da distribuição da “bolsa família” está no âmbito dos governos municipais.

Também seria oportuno lembrar os subsídios recebidos por juízes de direito, deputados e senadores – promovidos por eles próprios, coitados – para “ajudar” no pagamento de suas moradias, viagens, despesas de correio e até da obrigação de uso do paletó... É por aí que se dá a injusta distribuição da renda e a malvada compreensão dos direitos dos pobres que “não se esforçaram como nós”. 



A presidente Dilma preserva sua visão de justiça social com a aplicação dos recursos advindos do pré-sal: “Precisamos pagar bem os professores e vamos gastar dinheiro, não só pagando professores, mas fazendo escolas para dois turnos, com laboratórios e equipamentos. O Brasil é um país rico pela qualidade de seu povo e porque temos petróleo. Essa riqueza finita tem que ser transformada em uma riqueza que não acaba para o Brasil, que é a educação”.


Eu, pessoalmente, como muitos outros, quero que o meu voto concorra para a concretização de novas mudanças, especialmente com ações em direção às questões dos povos indígenas, da reforma agrária, da qualidade na educação e da qualificação dos serviços de atenção básica à saúde. Bem sabemos que essas mudanças precisam da aprovação do Congresso Nacional e dependem de ações efetivas dos governos estaduais e municipais. Mas estou certa que estamos num bom caminho: grande parte das ações políticas de Dilma foi orientada para a promoção do desenvolvimento e da autonomia do povo empobrecido. É por tudo isso que também eu escolhi votar por mais um período do governo republicano da presidente Dilma Russeff.




[i] Manifesto publicado em www.redebrasilatual.com.br/eleições 2014
[iii] www.ebc.com.br       

Créditos imagens:


1. Três candidatos à presidência: www.facebook.com/siteDilmaRousseff/photo 

2. Dilma em campanha com as mulheres - www.facebook.com/siteDilmaRousseff/photo
3. Dilma em reunião com o Conselho Político da Presidência - Foto de Valter Campanato/Agência Brasil/2013
4. Dilma na ONU - setembro 2014 - www.facebook.com/SiteDilmaRousseff/photos

Nota: As imagens publicadas neste blog pertencem aos seus autores. Se alguém possui os direitos de uma delas e deseja que seja removida deste espaço, por favor entre  em contato com vrblog@hotmail.com 


Posts + Lidos

Desenho de AlternativoBrasil e-studio