Vanise Rezende - clique para ver seu perfil

CORVID - 19 - COMO NÃO ENLOUQUECER NA QUARENTENA

4 de abril de 2020

Caros amigos. Imagino muitos de vocês de quarentena, nos seus espaços domésticos, sozinhos ou com seus familiares, em várias cidades do mundo. Saúdo a cada um, com afeto fraterno. 

Aqui no Recife, onde vivo - no Nordeste do Brasil - a partir da 2ª quinzena de março estou isolada, no meu apartamento. A orientação é de não sair absolutamente de casa. Sou certamente uma felizarda, que tenho uma pessoa para cuidar das compras (quinzenalmente) e dos trabalhos essenciais da casa, que eu não possa realizar. Tenho, ainda, uma pequena varanda para observar uma região muito rara da cidade, ainda ocupada por casas arborizadas, com recentes construções de edifícios como o meu. Da varanda,  tenho a visão de uma vila de casas populares, que me permitem um sopro de vento, para amenizar os 30° desse nosso outono pleno de folhagens.  

No Brasil, apesar da ignorância e das maldades do Governo Federal, - que só agora emita algum tipo de atenção pelas pessoas mais vulneráveis - os governos estaduais estão assumindo o controle social da saúde da população. 

No Nordeste, governadores dos 9 estados da região formaram um Comitê Científico, para o respaldo de suas decisões. O Comitê tem a coordenado do reconhecido cientista brasileiro Miguel Nicolelis, de modo que se possa planejar e definir ações prioritárias a serem focalizadas de acordo com a situação prevista. Certamente essa atitude nasce do aprendizado de equívocos havidos em alguns países da Europa, que esperaram demasiado tempo para tomar decisões efetivas de combate à expansão do Coronavírus. 

Como em todo o mundo, também aqui conhecemos inúmeras ações de solidariedade, com alguns exemplos impactantes: 

a) Um movimento de jovens da periferia do Recife, está recebendo doações de gêneros alimentícios, e as redistribuem de forma organizada, com famílias carentes, de acordo com o nº de filhos comprovado. 
b) Um caminhoneiro divulgou um vídeo mostrando a dificuldade que eles tinham, no momento, de encontrar negócios abertos para fazerem suas refeições nas estradas. Aqui não contamos com ferrovias, são os caminhões que percorrem de norte a sul e vice-versa, para reabastecer os supermercados de gêneros alimentícios. A resposta imediata e espontânea a essa dificuldade, surgiu de várias mulheres com moradia nas estradas. Providas de mantimentos, elas se dispuseram a preparar refeições a serem entregues aos caminhoneiros passantes. Com esse gesto, os setor público logo organizou serviços de orientação sanitária, vacinação e itens necessários para que eles se protegessem contra o  vírus. 
c) No Recife  um Fórum de Luta, formado por inúmeras Organizações de Mulheres em rede, que mobilizou inúmeras pessoas da classe média para que, das suas casas, contribuíssem para que fossem compradas cestas básicas e itens de proteção contra o CORVID-19, a serem distribuídos com família mais vulneráveis assistidas por essas organizações. Fui uma das contribuintes. Dias depois, recebi uma mensagem contando-me que haviam chegado ao teto necessário, e que as famílias foram atendidas. 
d) Inúmeros jovens proprietários de negócios de ponta com diferentes propósitos, a partir do Recife criaram uma rede de estudos e de troca de conhecimento técnico (inclusive com pessoas do exterior), que os orientaram para produzirem máscaras de proteção e outros itens de apoio aos profissionais de saúde, que estão na linha de frente na atenção aos infectados. 
e) E, para fechar, diante de algumas notícias de pessoas preocupadas com as populações de cerca 700 favelas do Rio de Janeiro, o Jornal o Globo divulgou uma informação sobre um carro de som que saíra às ruas de uma das favelas, com o seguinte aviso à população: 

"Venho aqui a pedido da diretoria das áreas x, y e z, (e indicavam os respectivos locais). Vamos fazer o toque de recolher porque ninguém tá levando a sério.  Quem tiver na rua de sacanagem ou batendo perna, vai receber um corretivo! É melhor ficar em casa de molho! O recado já foi dado!"

Em outra comunidade, o aviso do carro de som era mais simples e direto: - "Quem for pego na rua vai aprender a respeitar o próximo!"

-------------------------------------------------

Na presente postagem, o recado é para todos nós, considerando especialmente aqueles que estiverem "de molho".... em casa!

O responsável por essa missão é o professor Dr. Ronald Fischer, PhD em Psicologia Social pela Universidade de Sussex, no Reino Unido, pesquisador do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino, no Rio de Janeiro, e autor do livro Personality, Values, Culture: An Evolutionary Perspective, da Cambridge University Press.  

O artigo abaixo foi publicado na Revista TRIP - uol.com.br. O professor Fischer nos oferece dicas minuciosas de sobrevivência para a nossa quarentena. 

COMO NÃO ENLOUQUECER
NA QUARENTENA


O pesquisador Ronald Fischer, um dos 10 mais citados no mundo da cultura e da psicologia, cria um manual de sobrevivência para os quarenteners.


Completamos quase uma semana de quarentena e você já está enlouquecendo? Calma, respira fundo. Ou melhor, inspira, respira, inspira, respira, devagar. Se você sempre foi daqueles que não arrumava tempo para meditar (ou achava bobagem, ainda tem quem pense assim!), prepare-se para dar uma chance para essa atividade milenar.
Essa é uma das dicas do neozelandês Ronald Fischer, PhD em Psicologia Social pela Universidade de Sussex, no Reino Unido, pesquisador do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino, no Rio de Janeiro, e autor do livro Personality, Values, Culture: An Evolutionary Perspective, da Cambridge University Press. A convite da Revista Trip, ele elaborou um manual de sobrevivência para a quarentena
Segue a matéria citada.
------------------------------------
Fala, Ron!
A atual pandemia de Covid-19 está sendo estressante para muitos de nós. Esse medo e ansiedade provavelmente são ainda piores para as pessoas que precisam estar em isolamento, seja por estarem sintomáticas, seja por estarem distantes da família.
Então, é hora de pensar em como lidar com este período longo de reclusão. Separei algumas recomendações baseadas em evidências científicas – bem como um pouco de bom senso – sobre a quarentena. Essas dicas estão focadas no bem estar psicológico das pessoas e devem ser associadas às recomendações médicas em relação a contenção da pandemia.
A condição de vida de cada indivíduo é muito variável para haver uma regra ou recomendação simples para todos. Portanto, leia, avalie e adapte de forma a funcionar melhor para você. Mesmo nas situações atuais, você é quem está no controle de sua vida!
Primeiro de tudo: prepare-se! 
Não estoque alimentos, produtos de limpeza etc. Não há previsão de escassez de produtos se todos comprarem apenas o que realmente precisam. Pense que as outras pessoas também irão precisar de produtos essenciais. A maioria das quarentenas está programada para durar de duas a três semanas, então, pense no que você pode precisar durante esse período – principalmente, alimentos e remédios essenciais (se você fizer uso de medicamentos controlados, providencia, se possível, antes de se isolar.
Outra ideia importante é criar um plano com seus vizinhos e amigos sobre quem pode levar comida, quem pode ir ao mercado, quem está disponível para qualquer emergência etc.
Importante: ainda que haja um tempo estabelecido para a duração do período de isolamento, tente viver dia a dia, pois esses prazos estarão sempre sendo atualizados, para menos ou para mais. 
    Agora, vamos ao lado psicológico e social.
   Ficar em um único local por períodos prolongados pode ser bem estressante. Há uma literatura fascinante sobre as experiências de astronautas, pesquisadores em estações na Antártida, e outras pessoas em situações extremas, que mostram como ficar sozinho pode ser bem difícil. Mas você vai conseguir.
 Ø  Mantenha o máximo da rotina diária.
Continue usando o seu  despertador. Levante-se. Vista-se. Faça o seu café da manhã. Estabeleça metas para o seu dia. 
Se você não consegue manter
a rotina de antes, porque não pode sair de casa, tente encontrar alternativas. Se você puder trabalhar em casa, procure manter suas atividades em dia.


Ø Faça coisas que você queria fazer há muito tempo. Assista a todas as séries que queria ver. Leia todos os livros que estão acumulando poeira na sua prateleira. Limpe a casa. Limpe, renove ou reorganize seu quarto. Faça as coisas que você quer fazer e nunca tem tempo.
Ø Seja criativo. Jogue alguns games. Pinte. Cante. Escreva uma música. Escreva um poema. Escreva um conto que você queria escrever há tanto tempo. Faça coisas aleatórias que sejam divertidas e prendam sua atenção. Que tal FINALMENTE organizar o seu computador, que está cheio de documentos antigos (e pior ainda: antigas pastas inúteis!). Não seria ótimo organizar tudo de acordo com suas necessidades atuais? E as suas fotos digitais? Este é um ótimo momento para relembrar suas aventuras anteriores e organizá-las em pastas corretas.

Ø  Mas como passar o dia inteiro trancado com as mesmas pessoas?
 Seja gentil. Para muitos de nós, será um desafio ficar com outras pessoas em um ambiente fechado, como uma casa ou apartamento, mesmo que sejam queridos e amados. Viver por longos períodos em espaços confinados, pode ser estressante. Aqui, vale apostar em algumas recomendações específicas:
 Ø  Ouçam uns aos outros. Você tem tempo agora, converse com as pessoas ao seu redor. Descubra o que a outra pessoa está pensando e sentindo. Reconecte-se. Escute.
Ø  Pratique empatia. Tente se colocar no lugar dos seus companheiros de quarentena que compartilham seu espaço. Procure ver as perspectivas deles. Entenda o que eles estão pensando e o que os preocupa. Cada pessoa reage de forma diferente aos problemas. 

Ø  Mas como passar o dia inteiro sozinho?

Se você estiver isolado, seja seja por estar doente ou preocupado mantenha contato social com sua família, colegas de trabalho e amigos, por telefone, e-mail ou o que for melhor para você. Não deixe o isolamento físico e a solidão fazer com que você se sinta infeliz, ainda que seja normal ficar chateado com toda essa situação. Somos todos mais fortes juntos, mesmo que precisemos estar fisicamente separados. Mas você quer dicas, certo?
Ø Procure um “amigo de quarentena”.
    Especialmente se você mora sozinho, faça planos de apoio para cuidar de crianças, animais de estimação e qualquer pessoa que possa precisar de cuidados especiais. Se alguém que você conhece estiver doente, ligue para ele duas vezes por dia e tenha um plano de como fornecer alimentos e medicamentos evitando contato. Faça um plano com seu amigo da gripe.

Ø  Concentre-se no lado positivo. Faça esse esforço acima de tudo. Reconecte-se com seus amigos e familiares. Use este momento estranho como um período para refletir e crescer. É um tempo que irá passar, use-o da melhor maneira possível.

       Ø Fique tranquilo em meio ao caos
       Sozinho ou acompanhado, você tem muitas pequenas ações que podem te ajudar a regular as emoções, as frustrações e as incertezas. Existem muitos passos simples que você pode seguir, separei alguns que considero importantes.
   
Ø  Defina um momento para meditar
Faça uma pausa por um momento e concentre-se na  respiração. Por 3 minutos, inspire e expire conscientemente. Foque em como o ar circula pelo nariz e chega aos seus pulmões. 

Expire lentamente. Concentre-se na sua respiração. Este é um exercício realmente simples que ajuda a se acalmar e diminui o estresse. Pratique isso repetidamente, quanto mais você fizer, melhor funcionará.
         Ø  Pense em coisas boas. 
            Anote três pensamentos ou eventos positivos do seu dia, todos os dias, e reflita sobre eles. Use cinco minutos à noite, antes de dormir, por exemplo. Concentre-se nas experiências positivas e anote-as. Talvez você tenha visto um filme engraçado hoje, conversou com um amigo com quem não conversa há muito tempo, talvez tenha aprendido algo interessante ou novo. Foque nos pensamentos e nas coisas positivas do seu dia.
     Ø Pense no seu privilégio. 
  Veja as coisas por uma boa perspectiva: você tem um lugar para ficar, tem amigos e família e tem comida. Esse isolamento durará provavelmente duas semanas e você poderá retomar a sua vida normal. Este é um momento passageiro. Concentre-se nas coisas boas e reflita como você pode usar essa pausa da sua rotina diária para crescer.

Ø Não sofra sozinho. 
Se estiver com dificuldades, procure ajuda profissional. Você pode ligar ou enviar mensagem para amigos ou familiares e pedir uma indicação de profissional de saúde mental. Entre em contato com ele.
Ø Planeje sua vida financeira.
  Muitos de nós estaremos estressados ​​com as incertezas do que está acontecendo. Podemos estar particularmente preocupados com nossos empregos e finanças. Questões financeiras podem ser um grande estressor. Faça uma lista de suas despesas e concentre-se no essencial para você estar bem. Quanto você tem e quanto precisa para suas despesas diárias? Que despesas você pode cortar confortavelmente?

    Mantenha o Foco. 
Faça uma lista de todas as coisas que você pode influenciar e todas as coisas que estão além do seu controle. O fato de dar-se conta do que você pode modificar ou controlar pode ser um poderoso motivador e um impulso moral. Depois que você perceber o que está além do seu controle, também poderá ajudá-lo a se concentrar novamente nas coisas que você pode realmente controlar. Aceite que você não pode influenciar tudo e nunca será tudo perfeito. Se você tem filhos, passe algum tempo com eles. Há muita pressão e expectativa sobre as crianças na escola e na sociedade. Passe o tempo com eles e relaxe sem se estressar com suas notas, aulas de esportes perdidas ou falhas no aprendizado da “física quântica”. Use o autoisolamento para conectar-se novamente e permitir que seus filhos sejam crianças.
Ø  Proteja os que estão em maior risco. 
Pense se é necessário visitar sua avó pessoalmente ou se é mais seguro neste momento ligar para ela. Ou ainda, que tal ligar para os parentes e idosos mais seguidamente?  Pense em como você pode ajudar e proteger aqueles que estão em maior risco.
Ø  Quem lê tanta notícia? 
Se as notícias estão sufocando você, desconecte-se das mídias sociais e notícias online. Infelizmente, existem muitos rumores e notícias falsas circulando em situações como essa. Se quiser ler, procure fontes que sejam confiáveis. Use a mídia convencional para obter informações verificadas ou procure fontes do Ministério da Saúde, do Governo, (no seu estado) e da Organização Mundial da Saúde, por exemplo.

Se cuida. Coma bem e faça exercícios na medida do possível. Isso é crucial na vida normal e ainda mais importante em tempos de crise. Seu corpo irá te agradecer! Corpo sano, mente sana ;) 
------------------------------------
Fonte da matéria:

Data de divulgação - 19/03/2010

Crédito das imagens:

Creative Commons



Nota: As imagens publicadas neste blog pertencem aos seus autores. Se alguém possui os direitos de uma delas e deseja que seja removida deste espaço, por favor entre em contato conosco fazendo um comentário nesta postagem. 







Nenhum comentário :

Deixe seu comentário:

Posts + Lidos

Desenho de AlternativoBrasil e-studio