Vanise Rezende - clique para ver seu perfil

A LINGUAGEM DO SILÊNCIO

19 de agosto de 2014

     



O silêncio tem jeitos diferentes
Pra dizer o querer e o não querer
Pra falar do que não se sabe como,
Ou buscar da razão um parecer.


No silêncio a palavra é um gesto
No encontro de amigos e amantes
É o sabor de dizer o bem-querer,
Presença do que se sabia dantes.






Quando o silêncio está quiçá bem perto
Do pensamento, basta o seu eco.
O amor e a dor falam num abraço
E no encontro o silêncio é livro aberto
Para dizer o afeto e o desafeto
Ou chorar, de amor, no seu regaço.

Na distância o silêncio enlouquece
Ruidosa é a presença das lembranças
Que o silêncio tão cedo não esquece
E as transforma consigo e as enrijece
Refazendo o sentido das palavras
E qual mágoa gravada permanece.


Quero um silêncio inteiro, um fomento
Para cuidar do silêncio que maltrata
E resgatar a história, no seu tempo,
E iluminar o dito e o não dito.
E como a história faz, ata e desata,
Desfazer, no silêncio, o seu mito.

Quero um silêncio longe da anuência
E a palavra do silêncio inteira
Que anula a fonte da interferência...

Um olhar silencioso de ternura
Quiçá uma palavra derradeira
Pra acarinhar de luz a mente escura.


-------------------------------------------------

Poema de Vanise Rezende - vaniserezende.com.br

Imagens: www. canstockphoto.com.br

---------------------------


Posts + Lidos

Desenho de AlternativoBrasil e-studio