Vanise Rezende - clique para ver seu perfil

GLOBALIZAR O NOSSO SENTIR

3 de junho de 2017

Enquanto passava uma vista no Facebook, verifiquei que uma cara amiga me enviara um link da página 24horas.cl . Trata-se de  um vídeo com  trechos de uma palestra recente realizada no Chile   por Pepe Mujica, ex-presidente do Uruguai  e grande estadista,  respeitado em todo o mundo por suas ideias e por seu testemunho político de abertura, sobriedade e honradez. 

Para nós brasileiros que sabemos de tantos factoides embrulhados em interesses individuais – na área da governança do país, do Congresso Nacional e de outras instituições – as palavras de Mujica são incisivas e impactantes.

A leitura de suas  palavras  nos convida a refletir sobre  graves problemas da atualidade no âmbito planetário: a fome que dizima populações mundiais, as guerras fratricidas e a terrivelmente injusta distribuição da riqueza entre os povos.

O retrocesso da civilização nos países mais ricos,  não reconhecem da sua espécie os povos vitimados pela guerra, os migrantes distanciados de suas terras, de sua família e da sua cultura,  e aqueles que vivem há anos em meio a  lutas  belicosas por rixas culturais de crenças e de raças. 

Aqui no Brasil  se mantém  o desprezo sempre havido dos povos indígenas,  o repetir-se que poderia ser evitado  das enchentes e  a gravidade das estiagens com  suas graves consequências   que, na verdade, são em grande parte de inteira responsabilidade de desgovernos perniciosos e  ignorantes, que chegam até  a desviar recursos para cobrir  interesses de grupos políticos. 

Deixo aos leitores essa preciosa reflexão. Editamos o texto em português, para o Espaço Poese, do vídeo que registrou a fala de Pepe Mujica, em espanhol. Para resguardar a fonte original, o texto em espanhol -  copiado da vinheta do vídeo -  está registrado no final da postagem. A versão do texto, em português, é de Vanise Rezende.
Segue o texto da fala de Pepe Mujica.
 ------------------------------------------




Estamos gerando uma civilização da qual somos prisioneiros.
Não há governo. É o mercado que conduz as decisões. O negócio.
Não há decisão política. Creio que este é o pior cataclismo de nossos tempos.
Temos que nos dar conta que esta civilização global criou contradições de caráter global espantosas.

Temos fontes de recursos para varrer a fome e a miséria que há nesta terra. Por que dizer o contrário?

É perder a ideia do que estamos desperdiçando. Mais de dois milhões de dólares por minuto no orçamento militar de todo o mundo. Portanto, dizer que não temos recursos é não perceber a importância política que temos.

Recursos sobram. Mas, nosso problema seria como utilizá-los em tempo e forma esses recursos.

Esta discussão sem dúvida não se pode dar com capacidade de decisão em nenhum lado. Temos umas Nações Unidas aí que não pode resolver absolutamente nada. Cada vez cria mais burocracia, mais coisas, e se discute coisinhas do tipo que é preciso que ganhar o salário de Genebra, e tudo o mais.

Tudo isto na verdade representa impotência política, porque continuamos pensando como indivíduos,  pensamos como ‘cidadezinha’. Porque estamos longe de pensar como espécie (como um só povo planetário). É isto que espera de nós a civilização que desenvolvemos.

Pensar pelo homem, pela mulher, pela vida do planeta.
Globalizar nosso sentir, porque criamos uma civilização de caráter planetário. Mas isto ainda não se chegou a perceber.

----------------------------------------------------------------------------

GLOBALIZAR NUESTRO SENTIRE

La reflexión que hizo el ex presidente de Uruguay, Pepe Mujica, en su paso por Chile, gravada e divulgada por 24horas.cl , nel Facebook, el 31.05.2017


Hemos generado una civilización de la cual somos prisioneros. Non tiene conducción.
La conducción es del mercado. Del negócio.
Però no hay conducción política.
Creo que esto es el cataclismo peor de nuestros tiempos. Tenemos que darnos cuenta que en esta civilización global ha creado contradicciones de caráter global espantosa.

Tenemos fonte de recursos para barrer el hambre y la miséria de arriba de la tierra.
Por que decir el contrario? E perder la idea de lo que estamos despilfarrando?
Más de dos millones de dólares por minuto en presupuesto militar en el mondo.
Decir que non tenemos recursos es non confessar la impotencia politica que tenemos.

Recursos sobram. Mas nuestro problema seria cómo utilizar en tiempo e forma estos recursos.
Sin embargo esta discusión non se puede dar con capacidad de decidir en ningún lado.

Tenemos unas Naciones Unidas ahi que non puede resolver assolutamente nada. Cada vez tiene más burocracia, más cosas. Y estamos haciendo cosas gigantescas de tipos que tienen que ganar el salario de Genebra y todo esso.

Esto nel fondo representa impotencia politica porque seguimos pensando cómo indivíduos y pensámos como 'paisito'. E estamos lejos de pensar cómo espécie que es lo que nos está reclamando la civilización que hemos desarrollado.

Pensar por el hombre, por la mujer, por la vida del planeta.
Globalizar nuestro sentire, porque hemos creado una civilización de carácter planetaria.
Però no nos hacemos cargo. 

----------------------------------------------
Texto copiado de um vídeo da página  24horas.cl - Facebook.
Versão portuguesa de Vanise Rezende para o 'Espaço Poese'.

Crédito das Imagens:
1. Palafitas nas Filipinas - www.canstockphoto.com.br
2. Haitianos chegados no Norte do Brasil - www.bemprana.com.br
3. Foto de Pepe Mujica - www.revistaforum.com.br
4. A corrida do mercado - www.canstockphoto.com.br

Nota - As imagens publicadas neste blog pertencem aos seus autores. Se alguém possui os direitos de uma delas e deseja que seja removida deste espaço, por favor entre  em contato com vrblog@hotmail.com


Posts + Lidos

Desenho de AlternativoBrasil e-studio