Vanise Rezende - clique para ver seu perfil

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

8 de março de 2017



* Texto atualizado em 9/03/2017.

Dia de todas as mulheres, com suas variações de jeitos de ser, cores de pele, crença, vestuário e costumes: suas burcas, sua nudez, suas roupas esvoaçantes e coloridas, seus cabelos presos ou soltos ou encobertos... Suas belezas de tantas expressões, seus amores, seus sonhos políticos, criativos, inclusivos, empreendedores e poéticos. 

Mulheres pé-no-chão, mulheres inteligentes e fortes, mulheres práticas, leves, românticas. Mulheres sedutoras ou contidas, mulheres livres, prisioneiras, mães, meninas, índias, mulatas, pretas e brancas, cheias de sentimento e ternura e coragem e poder e ardor... Todas as mulheres.




A todas elas - em vários países e culturas do mundo inteiro - e aos seus companheiros e companheiras, filhos e filhas, amigos e amigas, um convite, hoje, a focar o seu olhar sobre um país do mundo cuja beleza é mundialmente reconhecida: num imenso contorno de terras destacadas da África, separado e unido pelo Oceano Atlântico, por suas histórias e pela negritude de suas origens. 

Um olhar crítico sobre o Brasil. Sobre um povo que se orgulhava de ser um país dito do Futuro, da Riqueza, da Esperança. Agora "é um país falido". O próprio feiticeiro que partilhou do feitiço - a TV Globo - anuncia dados do PIB a demonstrar que "o governo, as empresas e as famílias estão endividados". E afirma que "estamos voltando aos índices da recessão de `89 e´92" (Jornal Globo à tarde de hoje, dia 08.03.2017). Um país da temeridade e do vexame de apresentar taxas que chegam a 14% de desemprego. Um país em que "desde 1948 não via dois resultados negativos e sucessivos do PIB, apresentando queda em todos os setores". Apenas o agronegócio - diz o jornal de TV citado - deu sinais de recuperação nos índices do trimestre final de 2016.  



Mas há outros sinais cruéis de preocupação. O Brasil não tem dado importância à presença organizada de dois grandes povos que integram a sua população: os povos indígenas e sua imensa população negra.  

Alegra-nos observar que é também essa delicada situação do país que está a promover o fortalecimento de organizações específicas de lutas. Hoje, por exemplo, temos um sábio e incisivo manifesto do Movimento Uneafro Brasil, assinado por sua coordenadora, a advogada Rosângela Martins. O movimento é representativo de  significativa expressão das mulheres negras brasileiras e, portanto, também das "mães de meninos e jovens pretos e pobres". Uma população, esta, que precisa enfrentar as maldades e a violência das atuais políticas de um poder ilegal e inconsequente. Abaixo, o manifesto: o negrito do texto assinado é nosso.




Nós militantes feministas negras, estamos com nossas bandeiras empunhadas, nossas faixas, nossos batuques, para que nossas vozes possam ecoar pelas ruas das cidades. O 8 de março é uma data de extrema importância para o movimento de mulheres, e este ano, em especial, corresponde a um chamado de paralisação internacional ou greve geral das mulheres.  Por óbvio, não podemos perder de vista o fato de que no Brasil, vivenciamos um golpe político com a clara intenção de promover uma deliberada retirada de direitos conquistados a duras penas. O mais triste é ver o quanto isso reflete na vida das mulheres negras. Motivo que nos leva a parar.
As mães negras, que choram a perda de seus filhos por conta da violência policial, verdadeiro genocídio da juventude preta no Brasil  estão em luta. 

Insiro, aqui, dados  do "Mapa da Violência - 2016 (*) como ilustração da dolorosa realidade de que fala o manifesto do Movimento Uneafro. Trata-se de um texto copiado de: esquerda online.com.br/2016/8/26 - mapadaviolencia-2016
"A raça, o gênero e a idade das vítimas
A maioria das vítimas de homicídios por arma de fogo continua sendo formada por homens jovens e negros. Parece clichê, mas a pesquisa demonstrou que a premissa é verdadeira.
Nacionalmente, 94,4% das vítimas, em 2014, foram homens. Esse número, se analisado especificamente, variou entre 91% e 96% em cada estado.
Ainda, o crescimento do número de mortes na juventudefaixa etária de 15 a 29 anos, foi bem mais violento do que no restante da população. Enquanto no conjunto da sociedade, o crescimento de homicídios por arma de fogo cresceu 592,8% no período compreendido entre 1980 e 2014, dentre os jovens o número subiu para 699,5% ". 
É notável que a mulher negra será o principal alvo a ser atingido com a prometida reforma da Previdência Social. Já no campo da Educação, setor composto por uma maioria de mulheres, o enorme impacto implicará na desqualificação do já sofrível ensino público, sucateado há muito tempo. Mas será que todas nós conseguiremos parar?

Imagine um dia totalmente paralisado pelas mulheres. Um dia em que a trabalhadora do lar, ciente de que está ameaçado o seu direito à aposentadoria, por todos os anos em que manteve a dinâmica de uma casa, e sem remuneração, deixasse de preparar a alimentação, lavar as roupas das pessoas que ali vivem, levar seus filhos à escola…

Um dia em que as professoras decidissem abandonar a sala de aula para lecionar nas ruas, invocando seus direitos pela valorização da categoria, pela não redução de seus salários, contra a reforma da educação que elimina matérias de suma importância para a formação de todas nós…
Um dia em que nossas jovens, nossas filhas, que almejam mais do que um diploma de ensino médio, que desejam chegar à universidade e encarar profissões desafiadoras, a partir de oportunidades igualitárias, também parassem...




Um dia em que parassem também as trabalhadoras terceirizadas, em sua maioria negra, que limpam as escolas, preparam as merendas, estão no telemarketing, submetidas a empregadores que mais violam os seus direitos pagando cada vez menos, e exigindo cada vez mais…

Um dia em que as empregadas domésticas, que demoraram anos para terem seus direitos trabalhistas reconhecidos, e agora, diante da reforma da previdência veem a aposentadoria como algo inalcançável, cruzassem seus braços…

Talvez não alcancemos o todo da massa feminina brasileira já neste dia 8, mas está evidente a potência mobilizadora da luta das mulheres em todo o mundo.

Nossas irmãs, que rompem com o silêncio, com relacionamentos abusivos e violentos, refazem a vida, reconstroem sua história, sua autoestima, sua luta, e gritam para que não sejam mais um número de vítimas do feminicídio, estão em luta.

As mães negras, que choram a perda de seus filhos e filhas por conta da violência policial, verdadeiro genocídio da juventude preta, e ainda, as que enfrentam uma “via crucis” para que seu filho, companheiro, pai, irmão, sobrevivam apesar de um sistema penal seletivo que encarcera pretos de forma massiva, estão em luta.

Somos essas mulheres. Por todas elas e por todas nós, paramos.

Juntas, somos muitas. Juntas, venceremos!

----------------------------------
* Rosângela Martins é advogada, feminista negra e coordenadora nacional do movimento Uneafro-Brasil .     
Postado originalmente no blog: http://negrobelchior.cartacapital.com.br/por-um-8-de-marco-de-mulheres-pretas-pobres-e-perifericas/

Créditos das Imagens

1. Sibila Délfica - Michelangelo - Capela Sistina - In: Bol.Notícias.Uol -         Os tesouros do Vaticano.
2. Manifestação da União Brasileira da Mulher no dia 8/03/2016, em         comemoração dos cem anos do Dia Internacinal da Mulher. 
3. Rosto de índia amazonas, divulgado pela Avaaz.
4. Detalhe do manifesto do Movimento Uneafro, em foto que ilustra o     texto original publicado no Blog Negro Belchior.
5. Imagem de manifestação em Maringá-SC contra a Reforma da             Previdência Social - g1.globo.com/politicas/cidades-tem-protestos...
6. Retrato de Chiquinha Gonzaga, musicista que apoiou a liberdade dos     escravos negros no Brasil. 
7. Margarida Alves, sindicalista negra assassinada em 1983.
8. Atuação violenta da polícia: Mapa da Violência - foto ilustrativa do         texto de Paulo Nunes, São Paulo - SP.
    
Nota: As imagens publicadas neste blog pertencem aos seus autores. Se alguém possui os direitos de uma delas e deseja que seja removida deste espaço, por favor entre  em contato com vrblog@hotmail.com 





Posts + Lidos

Desenho de AlternativoBrasil e-studio