Vanise Rezende - clique para ver seu perfil

MAIS FORTE DO QUE O MEDO

6 de setembro de 2016


Não é hora de desalento, é hora de luta. Tomo essa ideia de Vagner Freitas, presidente nacional da CUT, de quem apresento o texto abaixo, escrito dias antes da usurpação da presidência da república por um grupo antidemocrático, num expressivo desrespeito à legislação do país. Já falamos sobre isto neste espaço. 

Hoje, antecipamos a celebração do 7 de setembro, que deveria festejar a conquista da 'Res publica', o poder recebido do povo para servir aos interesses de toda a população (e não apenas orientado em uma só direção). 

Estamos a poucos dias da tomada de poder do governo central, num infeliz e triste retrocesso da nossa história. E perguntamos: Que gesto, que providência, que sinal nos está chegando dessa maioria de políticos que maculam o país, envergonhado-nos diante do mundo, e tendo como primeiro ato a imediata assinatura de aumento dos próprios salários?
Segue trechos do artigo de Vagner Freitas:



Primeiro, o noticiário nos contou que os recursos destinados à educação e à saúde foram congelados por vinte anos. Isto mesmo, estão pensando em governar para além desse tempo. Não só. Vejamos o que comenta Vagner Freitas, em seu blog, sobre a descontrolada situação do desemprego no país, enquanto o legislativo jogava todas as suas cartas na tomada do poder.





(...) "além do desespero e desalento   dos   chefes   de família,  o  desemprego está roubando o futuro dos jovens. 
Dos 11,5 milhões de brasileiros e brasileiras desempregados no país, 42% (4,8 milhões) são jovens de até 24 anos.

Na maioria dos casos, são estudantes que ainda não têm sua própria família para sustentar, mas contribuem em casa para ajudar os pais a pagar as contas e investem o que sobra no futuro, pagando uma faculdade, um curso de inglês, de informática ou uma pós-graduação que lhes garanta mais oportunidades no mercado de trabalho". 

E - devemos lembrar - estamos falando de jovens que ainda estão conseguindo pensar no futuro, trabalhar e pagar seus estudos. Um quadro que ainda era possível no governo Dilma Rousseff.  

"Com o desemprego deles e, em alguns casos, dos pais e mães (e com o corte já realizado pelo novo/velho governo nos programas de acesso dos mais pobres à universidade) – muitos jovens abandonam esses sonhos e, na maioria dos casos têm o futuro comprometido para sempre, porque precisam fazer bico para ajudar no orçamento familiar, comprometido com a tragédia que a falta de um emprego decente provoca nos lares brasileiros."

Aqui, me intrometo mais uma vez: a maioria dos "senhores deputados" aqueles que infelizmente o povo escolheu, sem prestar muita atenção em quem estavam votando para representar os seus interesses  estão muito ocupados para nos prestarem conta desta situação. Como vimos, logo de início eles cuidaram, sim, dos seus próprios negócios e negociatas, dos seus aumentos de salário e da caça de um espaço qualquer de poder, no governo golpista.

Continua Vagner Freitas: 

"A pesquisa PNAD-IBGE constatou que só nos últimos três meses mais de 500 mil trabalhadores perderam seus empregos. Os mais atingidos são os jovens com idades entre 14 e 17 anos – 38,7% dos demitidos em todo o Brasil. Na Região Sudeste a situação é mais dramática ainda, a taxa entre os jovens sobe para estratosféricos 45%. E mesmo entre os jovens de 18 a 24 anos, a atual taxa de desempregados está acima da média nacional, 24,5%.

O mais preocupante é que a situação tende a piorar. Os golpistas não têm a menor precaução com o desemprego, muito pelo contrário, pelo que dizem eles até defendem o aumento do desemprego (aqui), pelo que dizem, como forma de controlar a inflação." 

Assim, "a luta por um governo trabalhista com os olhos voltados para a social, para as necessidades básicas da sociedade como comer, ter onde morar e estudar, se torna a cada dia mais essencial."

No final, o presidente da CUT conclama a todos e a todas para a mobilização e luta pela Democracia, contra o golpe, em defesa do emprego e de outros Direitos Sociais e Trabalhistas. 

Participe! Mobilize-se! Envolva-se! O povo brasileiro é mais forte do que o medo.
Estão em jogo os direitos conquistados durante muito tempo de luta. 

-------------------------------------


Vagner Freitas é trabalhador bancário desde 1987 e atual presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT). O seu artigo foi reproduzido do portal:  "Conversa Afiada" / Fonte: Cut/IBGE.




Créditos Imagens

1. Malala -  Ativista paquistanesa que recebeu o Prêmio Nobel da Paz por seu trabalho de educadora e por sua firmeza enquanto mulher e cidadã. É conhecida por seu impenho em afirma os direitos civis no seu país e pelo direito da mulher à instrução, banido por um edital dos talibã.  Foto divulgação Wikipedia. 
2. Grupo de Jovens - www.oinstituto.org.br
3. Camaragibe - Filas em busca de emprego - 
G1.globo.com/pernambuco/notícia/2016.9.06 
4. Nenhum direito a menos! - Grajaú - SP - Comunidade se mobiliza contra o efeito               Temer. 5.9.2016
5. Afetos e conflitos na internet  -  oinstituto.org.br 

Nota:  As  imagens  publicadas  neste  blog  pertencem aos seus autores. Sealguém possui os direitos de uma delas, e deseja que  seja removida deste espaço,  por favor entre em contato com: vrblog@hotmail.com


Posts + Lidos

Desenho de AlternativoBrasil e-studio